Iniciativas e Rotinas

Safety Walk

Safety Walks é uma rotina, dirigida aos níveis hierárquicos superiores. Tem como objetivo comunicar que a segurança é um valor e uma prioridade para a empresa. Pretende-se levar cada líder a assumir o seu papel no que toca à segurança, contribuindo ativamente para prevenção no trabalho.

Os líderes das empresas têm pouco tempo disponível. Este facto exige que o mecanismo das Safety Walks seja ágil e pouco consumidor de tempo. Propomos que cada líder disponha de 20 minutos, 1 a 2 vezes por mês, para realização da iniciativa. É o tempo que consideramos mínimo, mas suficiente, para abordar o que é definido pela organização como uma prioridade: segurança no trabalho.

As vantagens desta iniciativa são:

Envolvência efetiva dos cargos superiores na segurança da empresa; A prioridade dada à Segurança é feita de forma ativa. Maior aceitação na implementação de medidas de segurança, por envolvimento; Aumento do nível de segurança da empresa a médio prazo.Safety Walks – Contexto organizacional:

Apesar de haver métricas para a segurança, não há muitas vezes envolvência das pessoas. As medidas de segurança não são compridas por todos os colaboradores. As empresas onde a segurança é vista como departamental (“isso é com o departamento de segurança!”), necessitam de mudar mentalidades, pois a segurança compete a todos.

Há uma necessidade de demonstrar à “equipa” que de facto a Segurança é uma prioridade dos cargos superiores. A iniciativa Safety Walks contribui ativamente para isso.

Safety Walks – Como é realizado:

Safety Walks é uma iniciativa realizada pelos cargos superiores, com uma periocidade mínima mensal. Cada Safety Walk tem uma duração estimada de 20 minutos. Realizada em qualquer lugar da empresa.

O líder convida um operacional e ambos observam um determinado local e tarefas em curso. De uma forma crítica e exigente sobre segurança e
prevenção no trabalho. Sempre que possível concretizam melhorias.

Pode aceder ao conteúdo da ferramenta Safety Walks individualmente ou para equipas.

Peça-nos mais informações

Diálogos de Segurança

Apesar de prioridade, o tema da segurança é frequentemente esquecido das conversas diárias ou semanais das equipas. As urgências concorrem pelo tempo e atenção das pessoas.

Em muitas situações o tema da Segurança só é prioritário após acidentes de trabalho.
Esta forma de estar reativa é desadequada ao objetivo “zero acidentes”. As empresas que ambicionam a excelência em matéria de prevenção no
trabalho têm a necessidade de criar uma rotina, que assegure que sistematicamente o tema da segurança é conversado.

A rotina Diálogos de Segurança é dirigida a líderes de equipas, nomeadamente chefias diretas de operacionais. O objetivo é simples: existir um momento em que se converse sobre segurança.

Um aspeto critico para o sucesso desta ferramenta é a definição de um dia e hora.
Propomos que semanalmente, sempre no mesmo dia e à mesma hora, seja realizado um Diálogo de Segurança. O líder reúne a equipa e conversa 5
minutos sobre segurança. O tema em cada diálogo é previamente enviado pelo departamento de segurança e é comum em toda a fábrica. Importa ter em conta que os líderes não são especialistas em segurança. Assim, é necessário a existência deste mecanismo (ficha de diálogo) para apoiar cada líder na condução da sua equipa.

LTM apoia as organizações através da disponibilização de mais de 50 fichas de diálogos de segurança.

As vantagens desta iniciativa são: Criação de um canal efetivo de
comunicação com todos os trabalhadores, sobre segurança (qualquer nova
medida ou alteração, passa a poder ser comunicada a todos, no prazo
máximo de 1 semana); Aumento do conhecimento de segurança no trabalho dos colaboradores; Envolvimento (comprometimento) das chefias diretas, sendo estas responsáveis pela liderança do diálogo. Diálogos de Segurança – Contexto organizacional:

Normalmente quando se aborda o tema segurança, em contexto empresarial, o principal objetivo é corrigir um problema de segurança. Estamos a reagir a um problema, tentando que não se volte a repetir. A comunicação é unilateral, porque a verdade é que os diálogos não são férteis após a existência de problemas.

A rotina Diálogos de Segurança pretende mudar o paradigma. Assegurar que a Segurança no Trabalho e Prevenção são temas frequentes.

Saiba mais sobre este recurso AQUI

Pergunte a uma das chefias da sua organização quando foi a última vez que conversou sobre Segurança no Trabalho com a sua equipa. Mas seja
exigente. Peça mesmo para que seja identificado um momento concreto. Se a resposta for “não me lembro”, é o momento de implementar os Diálogos de Segurança.

Diálogos de Segurança – Como é realizado:

Sempre que possível deve ser incorporado numa reunião já existente, reduzindo o esforço organizacional de implementação. O objetivo desta iniciativa é promover diálogos sobre segurança (5 a 10 minutos). A chefia direta tem o dever de convocar a sua equipa e, com periodicidade semanal, implementar a dinâmica.

Para orientar os diálogos de segurança, o departamento de segurança envia previamente o tema da semana seguinte. Disponibilizando Fichas de Diálogo pré elaboradas por LTM para orientar as conversas, ou fichas de diálogo sobre temas desenvolvidos de forma corrente.

Pretende-se com esta iniciativa promover a participação ativa do grupo,
colocar todos os colaboradores a partilhar a sua opinião sobre a
temática, facilitando a comunicação.

Esta conversa deverá fazer parte da rotina, até que se torne um HÁBITO falar de Segurança.

Saiba mais sobre esta iniciativa!

Observações de Segurança

A segurança no trabalho aumenta, se tivermos mais pessoas fora do departamento de segurança atentos à segurança. E se cada pessoa, dentro de uma organização, for capaz de fazer algo
que evite um acidente de trabalho, numa organização com 100 pessoas,
serão evitados 100 acidentes.

O mecanismo das Observações de Segurança pretende promover a atenção e foco na segurança até ao nível do operador. Este é o nível hierárquico mais sujeito a acidentes e mais próximo do chão de fábrica.
Inevitavelmente é quem está em melhor posição para observar e promover a prevenção no trabalho.

As Observações de Segurança pretendem levar um grupo de colaboradores, de forma rotativa (de 6 em 6 meses, trocam), a observar o estado da segurança na sua área, com suporte de uma check list.

Um risco não deve ser avaliado pelos acidentes que já ocorreram, mas sim pelos que podem ocorrer. Ao criar um observatório de segurança, a
organização coloca a tónica na prevenção e não na reação. Com a tremenda vantagem de envolver colaboradores.

Em fases mais maduras do mecanismo de Observações de Segurança é possível fazer evoluir as equipas para observações mais complexas, como o método BBS Behavior Based Safety. Método onde é observada de forma completa e exaustiva as tarefas de maior risco, corrigindo todos os pontos de risco.

Pode aceder ao conteúdo da ferramenta Observatório de Segurança individualmente ou para equipas.

As vantagens desta iniciativa são:
º Foco em aspetos preventivos de segurança, ao nível de colaboradores de chão de fábrica;
º Motivação inter equipas, pela comparação de resultados;

º Pressão intra equipas, para obtenção de resultados;

º Gestão visual através de Output gráfico de fácil assimilação por todos;

º Promoção de cultura de inspeção permanente, porque é feita pelos próprios colaboradores.

Observatório de Segurança – Contexto organizacional:

O departamento de segurança, só por si, não consegue monitorizar os riscos de segurança de forma permanente. Para melhorar o nível de segurança da empresa é necessário que todos os colaboradores estejam integrados.

Este processo permite à empresa conhecer o estado exato dos principais temas de segurança e intervir nos mais débeis.

Observatório de Segurança – Como é realizado:

Dependendo da dimensão e complexidade da organização, o Observatório de Segurança pode ser realizado por todos os operacionais (em empresas de menor dimensão) ou por Grupos de Observadores (no caso de organizações mais complexas ou com um grande número de colaboradores). Cada pessoa deve fazer 2 observações por semana e preencher uma check-list (disponibilizada pela LTM ao departamento de segurança da empresa e reajustada).

Esta Check-List de Segurança, tem vários pontos relativos ao
posto de trabalho, à envolvente, aos equipamentos, às tarefas a
realizar, etc. O colaborador deve ser capaz de identificar os perigos,
avaliar os riscos e, em alguns casos, sugerir medidas de melhoria.

Consulte-nos para saber como implementar!